Seção: Dicas
Artigo
Febre na Infância


A elevação da temperatura é apenas um sinal de que alguma anormalidade está ocorrendo com a saúde da criança (nem sempre infecção) e que o organismo já iniciou o seu combate. Sim, pois a febre produz um aumento da atividade dos glóbulos brancos, facilitando o processo de cura das doenças.
Portanto, a febre ajuda o processo de cura e raramente traz malefícios à criança, desde que alguns cuidados sejam tomados. Um filho febril deveria deixar seus pais mais alertas que preocupados. 

O que é febre?           

A variação da temperatura axilar, dentro da normalidade, ocorre entre 36,1ºC e 37,2ºC. Temperatura acima de 37,2ºC indica febre. 

Febre alta é mais perigosa?  

 

Pode ser ou não. Mais importante que a febre é o estado geral de seu filho. Se a febre é baixa, mas sua criança encontra-se muito molinha, a situação preocupa mais. Diferentemente, uma criança com febre elevada , mas que aparenta estar bem, sorrindo, brincando, representa uma situação seguramente benigna. 

Quando procurar atendimento médico? 

Se seu filho tem febre, mas tem mais de 1 ano de vida, está comendo e dormindo bem e brinca normalmente, não há necessidade de procurar atendimento médico imediato. Entretanto, o médico deverá ser localizado imediatamente se:

  • Qualquer febre em menores de 3 meses
  • Febre por mais de 3 dias em qualquer idade
  • Febre em crianças portadoras de alguma doença que suprima a resposta imune
  • Febre associada a alterações como: . manchas no corpo. gemidos ou dificuldade de respirar. moleza que persiste quando a febre baixa. choro contínuo ou irritabilidade intensa. episódios freqüentes de vômitos ou diarréia. aparência de muito doente. convulsão

Que medicamentos utilizar para baixar a febre? 

Quando seu filho estiver com febre e parecer estar incomodado com isto, ou ultrapassar os 38,5ºC, você poderá tratá-lo com uma das seguintes medicações:

  • Acetaminofen-Tylenol, Dôrico
  • Ibuprofeno-Alivium, Dalsy
  • Dipirona-Novalgina, Magnopyrol

Produtos a base de Ácido-acetil-salicílico (Melhoral, AAS) são atualmente contra-indicados em menores de 12 anos. Esta proibição decorre da possibilidade de ocorrerem reações indesejáveis como dores no estômago, vômitos, alergias e raramente, uma doença extremamente grave chamada Síndrome de Reye. Esta doença causa sérias alterações no fígado e no cérebro da criança, podendo ser fatal.
O ideal é que o pediatra acompanhante de seu filho defina previamente qual o melhor medicamento a ser usado, caso ele apresente febre, e que você já o tenha na “farmacinha do bebê”, para usar quando necessário. 

Meu filho pode ter convulsão febril?

Nas crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, a febre pode desencadear crise convulsiva. A boa notícia é que as crianças com idade superior a 5 anos já atingiram uma maior maturidade do cérebro e não apresentarão mais convulsão febril.

Observa-se uma tendência familiar à apresentação do quadro. Histórico de convulsão em pais ou irmãos aumentam a probabilidade de ocorrência na criança menor de 5 anos, mas também pode nunca ocorrer.
Mas, se ocorrer, é tranqüilizador saber que as convulsões febris são quase sempre inofensivas, não causando dano cerebral futuro.  

 

 

Gostou deste artigo? Envie para um amigo:
Seu Nome:
Seu Email:
Nome do seu Amigo:
Email do seu Amigo:
Comentários (Opcional):